O Método de Equoterapia

É um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais.

As sessões de equoterapia acontecem uma vez por semana, com duração de 30 minutos. O ambiente de atendimento é diferente de um consultório, favorece a interação com a natureza e as diversidades que esta apresenta enriquecem o trabalho. A equipe de profissionais de equoterapia é composta por fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, educador físico, pedagogo e equitador.
A característica mais importante para equoterapia é o movimento tridimencional que o cavalo ao passo transmite ao cavaleiro. Em uma sessão de 30 minutos o cavaleiro recebe cerca de 21.600 ajustes tônicos provenientes desse movimento tridimencional que gera impulsos que acionam o sistema nervoso central produzindo reações que contribuem para o aprendizado de movimentos normais e habilidades funcionais. A aquisição dessas habilidades estão interligadas com o desenvolvimento mental e emocional do praticante, por isso temos na equoterapia um método completo onde as funções motoras são aliadas e estimuladas em conjunto com as habilidades cognitivas e perceptivas necessárias para experimentar os novos ganhos.
Após avaliação da equipe, objetivos individuais são traçados, obedecendo a necessidade e a condição física e psicológica de cada praticante (nome dado ao paciente que frequenta as sessões de equoterapia, uma vez que este não é um sujeito passivo pois durante as sessões, ele participa ativamente).

Dentre os conjuntos de efeitos terapêuticos possíveis de se obter com a equoterapia, podemos citar:

  • Ganho de amplitude de movimento articular, efetiva mobilização das articulações de coluna vertebral e de cintura pélvica;
  • Aumento de força muscular;
  • Melhora da simetria corporal com mehora da postura;
  • Melhora do controle de tronco e cabeça;
  • Melhora da percepção do esquema corporal;
  • Estímulo das dissociações corporais;
  • Ganho de equilíbrio estático, sentado e em pé e dinâmico entre várias posições;
  • Ganho da referência de espaço, de velocidade, de tempo e de ritmo do movimento;
  • Melhora da coordenação motora global e fina;
  • Melhora e aquisição da marcha.